In attesa di quello dell'IRPET....

E' uscito il rapporto sull'economia toscana a cura della Banca d'Italia...

Nel corso del 2009 la crisi economico-finanziaria internazionale ha causato in Italia una caduta del prodotto interno lordo del 5 per cento. Secondo le stime preliminari dei principali istituti di previsione, il PIL della Toscana avrebbe subito un arretramento pressoché in linea con quello nazionale.
Il settore manifatturiero, che per primo aveva risentito degli effetti della crisi, ha registrato una caduta delle vendite e dei livelli di produzione superiore al 15 per cento.
Le esportazioni sono diminuite del 9 per cento circa, meno della media italiana; vi ha influito soprattutto l'aumento delle vendite del settore metalmeccanico.
Nel comparto delle costruzioni il quadro congiunturale è apparso negativo e in peggioramento. La domanda di abitazioni da parte delle famiglie si è ulteriormente indebolita, per effetto soprattutto delle incerte prospettive occupazionali. Sulle costruzioni di opere pubbliche avrebbero pesato i vincoli di bilancio degli Enti locali derivanti dal Patto di stabilità interno.
Seppure con minore intensità, la crisi si è trasmessa anche al settore dei servizi. Il calo del reddito disponibile delle famiglie ha avuto un impatto negativo per le imprese operanti nel commercio al dettaglio; il comparto dei trasporti ha risentito della flessione degli scambi commerciali e dei minori arrivi di visitatori dall'estero.
La fase ciclica negativa ha iniziato a ripercuotersi sui livelli occupazionali, nonostante il massiccio ricorso agli ammortizzatori sociali. Nella media del 2009 l'occupazione è diminuita dello 0,5 per cento ma nel secondo semestre il calo è stato più forte (-1,2). La riduzione ha riguardato esclusivamente i lavoratori a tempo determinato. Il tasso di disoccupazione è salito dal 5,1 al 5,8 per cento. Considerando anche i lavoratori in Cassa integrazione guadagni la quota di forza lavoro inutilizzata è pari al 6,4 per cento.

Il testo integrale >>>
Inserito da enzo , lunedì 21 giugno 2010 alle 09:02 Commenti (4)

I COMMENTI
Commento di Anderson , lunedì 16 luglio 2012 alle 05:06
" Camila,Comentando:“Havere1 sempre fore7as que imeplire3o as pessoas a aderir e0s mesmas crene7as, quero dizer, havere1 sempre a autoridade reconhecida pela comunidade cientedfica internacional, na qual depositamos confiane7a porque vemos que ela e9 capaz de rever e corrigir de maneira pfablica suas conclusf5es, e isso diariamente. (…) Sim, concordo com ele O problema:Precisa-se validar coisas.Solue7e3o 1.0: valida-se de uma forma 1.0, atrave9s de crite9rios de pares, lento e demorado, crite9rios nem sempre transparentes, pouca gente;Solue7e3o 2.0: valida-se de uma forma 2.0, pares, ne3o-pares, sociedade, outras pessoas, crite9rios mais transparentes, mais gente, mais re1pido. Poderedamos dizer que as verdades cientedficas permanecere3o mais ou menos ve1lidas para todos porque, se ne3o partilhe1ssemos as mesmas noe7f5es mateme1ticas, seria impossedvel construir uma casa”.Ningue9m vai chutar o pau da barraca da casa desse autor, e9 bom mandar um email para ele.;) E continua: “Mas basta circular um pouco pela Internet para descobrir grupos que questionam noe7f5es que julgamos partilhadas por todos, sustentando, por exemplo, que a Terra e9 oca e vivemos sobre a sua superfedcie interna, ou ainda que o mundo foi realmente criado em seis dias .Pergunta-se:Quantos seguidores esse maluco que diz que a Terra e9 oca tem no Twitter? Quem se3o as pessoas de peso que seguem essa pessoa? Que rede ela pertence? Isso tudo e9 credibilidade em rede, que e9 outra forma, mais dine2mica, nem melhor, nem pior, mais adaptada a um mundo mais re1pido e dine2mico.Acho que esse autor tem que ler o blog aqui do pessoal do Brasil Por conseguinte, existe o risco de encontrarmos ve1rios saberes diferentes. Este1vamos convencidos de que, com a globalizae7e3o, todo mundo pensaria da mesma forma. Temos um resultado contre1rio sob todos os aspectos: ela contribui para o esfacelamento da experieancia comum”.Ai, ai ai, meu pai ;)Agora, a humanidade enlouqueceu?Ou este1 mais esperta e se1bia?Com mais teorias sobre o mundo competindo, de forma mais transparente e meritocre1tica???Je1 se acreditava em Duendes, Destino, Bfazios e ate9 em Jesus, que e9 filho de uma me3e virgem, antes da Internet, tem maluco para tudo, tanto para falar quanto para acreditar a rede amplifica os geanios e estes tambe9m Sf3 que os seguidores no Twitter e outras validae7f5es separam o joio do trigo.E ne3o o modelo anterior dos pares, fechado, viciado e lento.Vou gostar desse livro?Pelo que vc este1 me passando, je1 li ele.;)d3timo para bater..Vamos chame1-lo de livro de academia de boxe para treinar os mfasculos Beijos,valeu a visita e o compartilhamento..Nepf4. "

Commento di Medhat , domenica 15 luglio 2012 alle 04:41
" Dito isso, vocea ne3o acha que os estudos da web seme2ntica poiaedrm propiciar justamente essa evolue7e3o dos filtros? Bom, Daniel, vamos separar duas coisas.Tecnologia/Metodologia;Seres Humanos.Estamos saindo de:- um ambiente informacional, no qual as fontes humanas de informae7e3o eram limitadas pela distribuie7e3o de ideias, atrave9s de caros canais de distribuie7e3o;Para:- de um ambiente informacional, no qual as fontes humanas de informae7e3o ne3o se3o mais limitados pela distribuie7e3o de ideias, atrave9s de caros canais de distribuie7e3o;Nosso problema agora deixa de ser colocar a cara no mundo de antes para achar a cara que vocea colocou no mundo .Ne3o resta dfavida, que hoje do anonimato e0 fama o tempo e9 muito mais curto, milhares de exemplos chovem por aed.Assim, temos novos filtros alternativos que podemos optar por nos guiar no mar informacional. Escolhemos a partir de novos crite9rios, muito mais baseado em meritocracia do que no passado.Obviamente, cercado ainda de ve1rios fatores, tipo marketing pessoal, domednio do ambiente, condie7f5es social para se manter alternativa sem custos durante bastante tempo, etc Saedmos de um mundo nublado para um menos nublado.Ne3o e9 o paraedso, mas se vea melhor.A Web seme2ntica considero que e9 o aperfeie7oamento do que je1 estamos fazendo, atrave9s do uso de robf4s para melhorar as nossas recuperae7f5es.O Google foi um salto que2ntico nisso e vamos mais adiante, sempre na ideia de que e9 preciso gerar mais releve2ncia, sempre evitando que fore7as ne3o meritocre1ticas ganhem a guerra das buscas.Esse e9 o espedrito.Vocea ainda diz: tere1 que dar uma resposta o mais prf3ximo da verdade possedvel Bom, se vocea ler alguns textos do blog, recomendo este:Vere1s que o conceito da verdade/realidade e9 algo que temos que ter bastante cuidado .O que o Google pode nos levar ou uma busca similar a locais na Internet que correspondam o mais perto possedvel do que estamos procurando.E para isso ele vai precisar:a) saber cada vez mais sobre o seu perfil para tentar adivinhar , de fato, o que vocea costuma procurar para errar menos;b) monitorar a rede e deixar que as pessoas que tenham um perfil parecido com o seu te ajudem mesmo involuntariamente (do tipo o robf4 da Amazon que indica livros.);c) usar os crite9rios atuais, do tipo, pe1ginas relevantes, links para aquela pe1gina, releve2ncia do termo buscado, etc Veja que ne3o e9 a verdade , mas e9 tentar reduzir a taxa de erro entre a sua demanda informacional e o resultado de dada busca.Esse e9 um exercedcio que tambe9m vamos ter que interferir, ajustando os robf4s, para que possamos ajude1-los podemos, por exemplo, pedir mais oficial (sites com CNPJ, por exemplo) e alternativos (sem CNPJ), coisas do tipo.c9 isso,que dizes?abrae7os,Nepf4.PS Gustavo e Alberto, valeu a visita . "

Commento di Yarentsi , venerdì 20 aprile 2012 alle 22:22
" Tambe9m acredito que o nfamero seja muito maior. Os dados que apssam ce1 para fora se3o sempre "aligeirados".A melhor solue7e3o era acabar com o trabalho obrigatf3rio. O desemprego, que continua a ser noticiado como algo que pode ser remendado, ne3o tem solue7e3o. A tecnologia este1 a substituir o trabalho humano e as empresas este3o a perder o poder de investimento. Je1 ne3o he1 volta a dar, por muito que os Governos queiram pf4r mais medidas ridedculas de austeridade, que ainda fazem e9 pior.O trabalho e9 apenas um meio para obter outro meio para obter o que precisamos (trabalho - dinheiro - comida). Muito do que pagamos - casa, electricidade, comida - deviam ser gratuitos para todas as pessoas (porque he1 possibilidades disso, e exemplos disso se3o as toneladas de comida que se3o postas no lixo todos os dias ou as casas abandonadas que andam por aed) e ainda nos contentamos a pagar maus servie7os. Agora, com o desemprego a aumentar, as pessoas deixam de conseguir ganhar dinheiro para comprar a sua sobreviveancia. O que se gerou em torno do dinheiro e9 um dos maiores crimes aos direitos humanos. Isto hoje em dia este1 tudo mal. Tudo!A solue7e3o ne3o e9 arranjar trabalho para os desempregados. A solue7e3o e9 fazea-los ver que ne3o precisam de um emprego sob as ordens de um patre3o maldisposto mas sim de comida, uma cama e do carinho dos amigos e pais (que ate9 isso o emprego lhes tira). "

Commento di Karsen , giovedì 28 luglio 2011 alle 07:28
" These topics are so confusing but this helepd me get the job done. "

INSERITE IL VOSTRO COMMENTO
Nome*:
E-mail:
  Bold Italic Underline
Commento*:
(max. 5000 caratteri)
Conteggio caratteri: